VII Volta ao Minho
15 e 16 de Abril

O Ferrari 250 GT de Horácio Macedo durante a VII Volta ao Minho de 1961. A Rampa do Monte da Franqueira, a quinta prova complementar deste rali, e que foi disputada na quarta e última etapa. Nesta altura o Ferrari ainda estava pintado de vermelho.
(Foto: Colecção Ângelo Pinto da Fonseca)

Esta prova foi organizada pela Secção Automóvel do Sport Clube do Porto e contou para o Campeonato Nacional de Condutores, a quarta prova a contar para o campeonato de 1961.
Teve um total de sessenta e três inscritos, divididos pelos grupos de Turismo (com quatro classes) e Grande Turismo (com três classes). Horácio Macedo estava inscrito nesta última categoria e na terceira classe. Este grupo teve também entre os principais inscritos os pilotos, Basílio dos Santos (Porsche), Achiles de Brito (Porsche), Henrique Burnay (MG), Bernardino Lampreia (Alfa Romeo), Augusto Palma (Porsche) e Aníbal Leite (Austin Sprite)
A primeira complementar deste rali teve lugar em Monção, e foi constituída por um circuito percorrido numa só volta. Decorreu com tempo chuvoso, e no piso escorregadio deste traçado foi Fernando Basílio dos Santos (Porsche) o piloto mais rápido, com o tempo de 11'14'' logo seguido pelo Ferrari de Horácio Macedo com 11'31''.
Na segunda prova complementar (Regularidade Absoluta), um total de nove pilotos conseguiram um ponto (nenhum conseguiu fazer a complementar a zero), Belmiro Correia, Joaquim Alves Pereira, Jorge Costa, Manuel Lopes Gião, Sarmento Rebelo, Aníbal Leite, Achiles de Brito, Jorge Spratley e Santos Mendonça.
A terceira complementar (Arranque e Travagem), viu todos os concorrentes penalizarem, tendo Belmiro Correia num N.S.U. conseguido o melhor tempo (27'',54), seguido por Manuel Lopes Gião num Austin 850 (29'',98) e Horácio Macedo (33'',18).
A quarta complementar decorreu em Braga (Prova de Perícia) e foi a vez de Horácio Macedo impôr o Ferrari 250 GT, com um tempo de 22''07, seguido por Basílio dos Santos com um tempo de 22''66.
Na quinta complementar (Rampa do Monte da Franqueira), foi novamente Horácio Macedo a vencer (6',10) seguido pelo Mercedes de António Barros (6',81). A última complementar teve lugar em Barcelos (Prova de Perícia) e decorreu sob forte chuva e com um piso, empedrado, extremamente escorregadio. Aqui foi Basílio dos Santos a vencer, com um tempo de 19'',24, seguido por Horácio Macedo, 19''98.
No final, Horácio Macedo conseguiu o triunfo final na primeira competição que efectuou ao volante do Ferrari 250 GT.

Classificação Final:

1º - Horácio Macedo (nº 48) - Ferrari 250 GT #2035GT - 95,64 pontos
2º - Manuel Lopes Gião (nº 15) - Austin 850 - 95,74 pontos
3º - Basílio dos Santos - Porsche - 96,12 pontos
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Categoria Grande Turismo:

1º - Horácio Macedo
2º - Basílio dos Santos
3º - Achiles de Brito
4º - Henrique Burnay
5º - Bernardino Lampreia
6º - Augusto Palma
7º - Aníbal Leite


_________________________________________________________________________________

X Rali da Montanha
29 e 30 de Abril


(Foto: Edições Vintage)

Uma competição organizada pelo Estrela e Vigorosa Sport. A segunda competição feita por Horácio Macedo em 1961, e a segunda vitória absoluta. Na foto, António Barros no Mercedes 300 SL, que se classificou em quarto na classificação final, na frente do vencedor, Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT.


Classificação Final:

1º - Horácio Macedo - 712,802 pontos
2º - Rui Martins Silva - 750,150 pontos
3º - José Bernardino Lampreia - 752,414 pontos
4º - António Barros - 778,752 pontos
5º - António Peixinho - 796,552 pontos
----------------------------------------------------------------
II Grupo (Grande Turismo) / 6ª Classe

1º - Horácio Macedo
2º - António Barros
3º - Santos Mendonça

_________________________________________________________________________________

Rali de São Pedro de Moel
21 de Maio


Este rali foi organizado pelo Clube Arte e Sport, foi constituído por duas etapas, e decorreu sob grande contestação por parte dos concorrentes relativamente à organização da prova, e ao controle feito por alguns comissários dos controles de percurso de alguns concorrentes.
Para além da prova de regularidade, existiram outras complementares de onde se destacam uma prova de rampa, um circuito, uma prova de perícia (disputada de noite) e uma prova de arranque, lançamento e travagem.
Horácio Macedo foi o mais rápido na prova de rampa, bateu o recorde do percurso com o tempo de 2'07'',46. Devido aos estranhos handicaps praticados, o piloto do Ferrari acabou classificado no 5º lugar. 
Na prova de arranque, lançamento e travagem, Horácio Macedo, embora tivesse falhado a travagem, conseguiu o melhor tempo, no entanto, e mais uma vez devido ao handicap, acabou classificado no 4º lugar (vencedor foi Batista dos Santos).
Na prova de perícia, foi Bernardino Lampreia o vencedor, seguido por Basílio dos Santos e Alexandrino Duarte.
Com a disputa da prova em circuito voltou o domínio do Ferrari de Horácio Macedo. Com um tempo de 1'.36'',2, deixou o 2º classificado, Martins Silva, a mais de quatro segundos. Basílio dos Santos foi 3º e Luis Fernandes o 4º classificado.


Classificação Final:
Categoria de Grande Turismo (+ de 2000 cc)

1º - Horácio Macedo (nº58) - Ferrari 250 GT #2035GT - 14.607,10 pontos (38º da Geral)
2º - Luís Fernandes - Mercedes 300 SL - 15.109,82 pontos

_________________________________________________________________________________

1000 Km de Nurburgring
27 e 28 de Maio


Os 1000 Km de Nurburgring foram a terceira prova do Campeonato Mundial de Marcas de 1961. A única equipa portuguesa presente foram António Gentil de Herédia e António Heredia de Bandeira, utilizaram um Ferrari veterano, o 500 TR #0638MDTR (Categoria de Sport, Classe 2, 1601 cc a 2000 cc) alugado à equipa Lausannoise. Não terminaram a corrida devido à rotura do depósito de combustível.
_________________________________________________________________________________

III Volta à Ilha da Madeira
18 de Junho

Inicio das participações de Horácio Macedo e do Ferrari 250 GT na Volta à Ilha da Madeira (18 de Junho). Esta prova, organizada pelo Clube de Sports da Madeira,  foi ganha por António Peixinho em Alfa Romeo.
(Foto: Colecção Pedro Gouveia)
_________________________________________________________________________________

II Grande Rali do Sporting
1 e 2 de Julho

A Secção de Motorismo do Sporting Clube de Portugal foi o organizador deste rali, que, como habitualmente nesta época, foi composto por uma prova de estrada, de regularidade e provas complementares, constituídas por um circuito, duas rampas, uma prova de arranque, lançamento e travagem, arranque e arranque negativo e duas provas de perícia. Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT #2035GT dominaram as complementares de velocidade, quer o circuito de Alverca, quer as duas rampas de Sintra e Montalvo, vencendo igualmente a prova de estrada. No final venceu a categoria GT e foi 5º classificado da geral.

Os resultados de cada uma  das provas:

Estrada: 
1º - Horácio Macedo
2º - Basílio dos Santos
3º - Luís Fernandes

Regularidade:
1º - Rui Martins Silva
2º - Manuel Fernandes
3º - Henrique Burnay Bastos

Circuito de Alverca:
1º - Horácio Macedo - 10' 25,06''
2º - Rui Martins Silva - 11' 17,36''
3º - Luís Fernandes - 11' 21,44''

Rampa de Sintra:
1º - Horácio Macedo - 2' 15,95''
2º - Rui Martins Silva - 2' 19,09''
3º - Basílio dos Santos - 2' 19,49''

Prova de perícia de Leiria:
1º - Manuel Lopes Gião - 15,00''
2º - Jorge Nascimento - 16,04''
3º - Basílio dos Santos - 16,48''

Rampa de Montalvo:
1º - Horácio Macedo - 2' 08,90''
2º - Basílio dos Santos - 2' 11,82''
3º - Henrique Burnay Bastos - 2' 17,83''

Prova de Perícia da Urgeiriça:
1º - Manuel Alves Barbosa - 46,97''
2º - Manuel Lopes Gião - 47,64''
3º - Henrique Burnay Bastos - 47,96''

Arranque, negativo-Arranque:
1º - Basílio dos Santos - 13, 253''
2º - José Branquinho - 13, 427''
3º - Luís Fernandes - 13, 670''
4º - Horácio Macedo - 13,911''

Arranque, lançamento e travagem (Alverca):

Anulada devido a problemas na cronometragem


Classificação Final:
Geral

1º - Basílio dos Santos - Porsche - 87,953 pontos
2º - Henrique Burnay Bastos - MGA - 93,464 pontos
3º - Manuel Lopes Gião - Austin Seven - 94,025 pontos
4º - César Torres - Hansa - 96,490 pontos
5º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT - 97,021 pontos

Categoria GT (+ 2000 cc):

1º - Horácio Macedo
2º - Luís Fernandes - Mercedes 300 SL

_________________________________________________________________________________

XIII Prova Automóvel Clube de Portugal
Circuito de Alverca
3 e 4 de Julho



Uma competição organizada pelo Automóvel Clube de Portugal e que contou para o Campeonato Nacional de Condutores.
Uma jornada constituída por três corridas, duas de Turismo (Taça Jorge Novais) e outra de Grande Turismo (Taça Automóvel Clube de Portugal), esta categoria constituída por quatro classes, a 4ª, para automóveis acima de 2000 cc foi aquela onde se inscreveu Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT #2035GT.


Este circuito já tinha sido utilizado antes, incluído como prova complementar de alguns ralis como o Troféu Turístico do Clube Shell e no Grande Rali do Sporting. 
Os treinos cronometrados foram disputados no sábado, dia 3, e Horácio Macedo foi o mais rápido, na frente de Carlos Faustino e Rui Martins Silva. Um total de vinte e cinco concorrentes alinharam na corrida. 
Logo na partida, Horácio Macedo assumiu o comando da corrida, que não largou mais até ao final. Nesta altura o Ferrari 250 GT não tinha rival à altura em provas de velocidade. O 2º classificado, Luís Fernandes, ao volante de um Mercedes 300 SL ficou a uma volta de Horácio Macedo.



Classificação Final:
Taça A.C.P. / Grande Turismo

1º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT - 35 Voltas / 1.06.25,46 / 125,26 Km/h
       V.m.r.: 134,37 Km/h
2º - Luís Fernandes - Mercedes 300 SL - 34 Voltas / 1.07.14,36 / 120,20 Km/h
3º - Rui Martins Silva - Alfa Romeo - 34 Voltas / 1.07.33,71 / 119,04 Km/h
(Classificados mais 14 concorrentes)





_________________________________________________________________________________

V Rali do Vinho do Porto
23 de Julho


Quarenta e seis concorrentes estiveram inscritos nesta prova que teve a organização do Sport Clube da Régua e do Estrela e Vigorosa Sport. Saíram de Chaves, Viseu, Porto e Régua para uma competição que teve igualmente uma prova complementar composta por uma prova de perícia.  
Horácio Macedo terminou no 4º lugar da geral, conseguindo mais uma vitória na categoria GT (2º Grupo), na frente de Luís Fernandes no seu habitual Mercedes 300 SL. À geral venceu Basílio dos Santos.

_________________________________________________________________________________

VII Circuito de Vila do Conde
12 e 13 de Agosto

Momento em que Horácio Macedo, em sentido contrário ao da pista, se dirigia para a grelha de partida.

A segunda competição do ano em circuito, a contar para o Campeonato Nacional de Condutores. Uma jornada composta por três corridas, duas destinadas aos automóveis de Turismo e outra para os de Grande Turismo.
Nesta competição deu-se a estreia em corridas do Ferrari 250 GT #1613GT, pilotado aqui por Joaquim Correia de Oliveira, desta forma, Horácio Macedo passou a ter concorrência directa.
Nos treinos, disputados no Sábado, Horácio Macedo conseguiu manter o ascendente que já havia mostrado nas competições anteriores, superiorizando-se a Correia de Oliveira. Macedo conseguiu a média de 124,079 Km/h enquanto que o piloto do 250 GT #1613GT obteve o segundo tempo com uma média de 123,492 Km/h. Luís Fernandes no Mercedes 300 SL foi o terceiro com uma média de 117,753 Km/h.
Na corrida, Horácio Macedo dominou as primeiras dez voltas, até que o motor V12 do 250 GT começou a aquecer de forma anormal, Macedo sinalizou a sua boxe, mas Manuel Palma mandou-o prosseguir. Nessa altura, Horácio Macedo deixa passar o 250 GT de Correia de Oliveira, mantendo-se no entanto perto do 250 GT #1613GT, tentando sempre manter uma distância de segurança para melhorar o arrefecimento do motor. Com esta manobra, Macedo contava já mais no final da corrida passar o Ferrari de Correia de Oliveira. Numa dessas manobras de fuga ao "cone de ar" do Ferrari de Correia de Oliveira, Macedo antecipa demasiado a abordagem à "Curva do Rio", corta muito por dentro, entra num pequeno desnível existente nesse local e acaba por fazer um meio pião. Os estragos no 250 GT #2035GT são mínimos, no entanto acabou por ter de abandonar a corrida. 
A obtenção da volta mais rápida da corrida, cerca de um segundo melhor que a de Correia de Oliveira, demonstra como Horácio Macedo a dominou de forma clara.
Joaquim Correia de Oliveira conseguiu assim manter a tradição de nas estreias dos 250 GT em competições nacionais, e pilotados por pilotos portugueses, todos tenham obtido a vitória.

(Artigo escrito com a colaboração de Ângelo Pinto da Fonseca)

Classificação Final:
Grande Turismo

1º - Joaquim Correia de Oliveira - Ferrari 250 GT #1613GT - 45 Voltas / 1.06'.06'' / 108,443 Km/h
V.m.r. 1'.24,19'' / 124,005 Km/h
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Horácio Macedo (nº11) - Ferrari 250 GT #2035GT - Não terminou
V.m.r.: 1' 23,18'' / 125,511 Km/h

_________________________________________________________________________________

VI Grande Rali a Sintra
19 e 20 de Agosto


(Foto: Jornal dos Clássicos, Junho 2001)

O Ferrari 250 GT SWB de Horácio Macedo durante o VI Grande Rali a Sintra de 1961, onde se podem ver claramente alguns traços distintivos deste SWB de 1960, como a pequena saída de ar do habitáculo situada no vidro traseiro (nos modelos de 1961, esta saída de ar estava colocada na parte posterior do tejadilho) e o espaço para a colocação da matrícula – esta estava colocada directamente sobre a carroçaria, enquanto que nos modelos posteriores Pininfarina desenhou uma pequena reentrância na mesma zona da carroçaria. A forma particular do vidro lateral também foi evoluindo ao longo das três versões do 250 GT SWB, nos "interim" (Designação não oficial) tinha a forma de um boomerang. Pininfarina foi redesenhando este pormenor, até atingir uma forma progressivamente menos angulosa.
Este VI Grande Rali a Sintra foi composto por três complementares, e as classificações obtidas foram sujeitas a "handicaps" que favoreciam os automóveis da categoria de Turismo e os de mais baixas cilindradas. Horácio Macedo fez em absoluto os melhores tempos, mas devido aos referidos handicaps acabou classificado em 4º lugar, 2º da categoria de Grande Turismo.


(Artigo escrito com a colaboração de Ângelo Pinto da Fonseca)

_________________________________________________________________________________

Rali à Praia da Areia Branca

Horácio Macedo durante a prova de perícia disputada na Praia Grande

Um Rali organizado pela Secção de Motorismo do Sporting Clube de Portugal, com a colaboração da Sacor e do Grupo de Amigos da Praia da Areia Branca. Seguiu uma estrutura próxima de uma "Concentração Turística". Horácio Macedo marcou novamente presença numa prova que não evidenciava as qualidades velocísticas do Ferrari 250 GT com o nº6. Por entre perícias e conviviais provas de estrada, conseguiu ser quinto da geral e segundo do II Grupo (4ª Classe).

_________________________________________________________________________________

I Grande Rali do Salgueiros
2 e 3 de Setembro


Um rali disputado nos moldes tradicionais da época, constituído por uma prova de regularidade e uma complementar, a Rampa de Santa Cristina do Couto. Esta competição foi organizada pela Secção de Desportos Mecânicos do Sport Comércio e Salgueiros, com o apoio do Académico Futebol Clube, Clube Nacional de Montanhismo, Estrela e Vigorosa Sport, Sport Clube do Porto e do Clube 100 à Hora. 
Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT #2035GT conseguiram vencer esta competição, na frente de Luís Fernandes e Rui Martins Silva. 

Classificação Final:

Geral:

1º - Horácio Macedo (nº17)- Ferrari 250 GT #2035GT - 217,84 pontos
2º - Luís Fernandes - Mercedes 300 SL - 233,27 pontos
3º - Rui Martins Silva - Alfa Romeo - 233,87 pontos


II Grupo / 4ª Classe (Categoria GT + 2000 cc):

1º - Horácio Macedo
2º - Luís Fernandes - Mercedes 300 SL

_________________________________________________________________________________

II Rampa de Santa Cristina do Couto
9 e 10 de Setembro

Realizada em Santo Tirso, esta competição contou para o campeonato Nacional de Condutores, e contou com a presença de Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT. O piloto do #2035GT conseguiu obter o tempo mais rápido absoluto (1'53,55''), e terceiro lugar na classificação ao índice.
Melhores tempos absolutos:

1º - Horácio Macedo (nº24) - Ferrari 250 GT - 1'53,55'' 
2º - Rui Martins da Silva - Alfa Romeo - 1'58,89''
3º - Basílio dos Santos - Porsche - 1'59,22''

Classificação Final da Categoria de Grande Turismo:

1º - Rui Martins da Silva - Alfa Romeo - 1'58,89''
2º - Basílio dos Santos - Porsche - 1'59,22''
3º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT - 1'53,55''

_________________________________________________________________________________

IV Rampa da Falperra
7 de Outubro


Com a organização das Secções Automobilísticas dos Clubes do Norte, esta competição, que contou para o Campeonato Nacional de Condutores, teve a presença de Horácio Macedo no Ferrari 250 GT, aqui com o nº5. Venceu a prova, terminando em 4º na classificação ao índice.
_________________________________________________________________________

X Rali de S. Martinho
19 de Novembro

Uma prova organizada pelo Clube Arte e Sport que contou com a participação de Horácio Macedo no Ferrari 250 GT #2035GT. Terminou em 17º da geral, e venceu a categoria de Grande Turismo (Classe IV, mais de 2000 cc), na frente de J. Costa Júnior num Lancia.


_________________________________________________________________________

Rali Nocturno do Sporting
16 e 17 de Dezembro 



O Rali Nocturno do Sporting não contou para o Campeonato Nacional, e foi constituído por duas provas complementares disputadas no Estádio de Alvalade, uma prova de estrada e uma rampa em Sintra. Uma interessante luta entre Horácio Macedo, que utilizou neste ano novamente o Ferrari 250 GT #2035GT, nesta altura ostentando já a nova decoração*, constituída por uma cor base dourada, e Fernando Basílio do Santos num Porsche. No final este último venceu, terminando Horácio Macedo em segundo da geral, e 1º da Categoria GT (II Grupo/ IV Classe), na frente de Luís Fernandes em Mercedes 300 SL.

*Segundo o próprio Horácio Macedo, esta alteração da cor do Ferrari deu-se nos finais de 1961 na oficina do Sr. Carvalho, situada na época na Travessa de Faria Guimarães. Na decoração seriam mantidas as faixas brancas que já existiam anteriormente.
 _________________________________________________________________________________

Horácio Macedo, Campeão Nacional de Condutores e Campeão do Grupo de Grande Turismo

No dia 26 de Abril de 1962 foi realizada a cerimónia de entrega de prémios referente ao Campeonato de 1961. A data tardia na entrega dos prémios deveu-se ao recurso apresentado por um dos concorrentes ao Campeonato. 
Horácio Macedo utilizou em todas as provas disputadas, o Ferrari 250 GT #2035, com excepção da Volta a Portugal em que utilizou ainda o Mercedes 300 SL. O Ferrari revelo-se sempre as fantásticas qualidades de desportivo polivalente, pois para além de ter dominado as provas de velocidade, em rampa e circuito, foi igualmente competitivo nas provas de regularidade e maneabilidade que também compunham a estrutura de muitos dos ralis da época.
Horácio Macedo e o 250 GT foram vencedores absolutos das seguintes provas:

- Circuito de Alverca
- Rampa de Santa Cristina do Couto
- Rampa da Falperra
- Volta ao Minho
- Rali da Montanha
- Grande Rali do Salgueiros



Classificações Oficiais

II Grupo - Automóveis de Grande Turismo

1º - Horácio Macedo - 75,79 pontos
2º - José Bernardino Lampreia - 67,57 pontos
3º - Ruy Martins da Silva - 66,10 pontos
(Classificados mais oito concorrentes)